EXTREMOS DE CHUVA E SECA EM PERNAMBUCO: UMA REALIDADE QUE VEIO PARA FICAR

Francinete Lacerda, Geraldo Majella, Bezerra Lopes
unpublished
Os extremos de chuva e de seca causam diversos danos à vida. Para compreender melhor os padrões climáticos em Pernambuco e no Nordeste do Brasil é necessário conceituar os processos que os influenciam. A irregularidade na distribuição dos índices de chuva é uma característica da alta variabilidade interanual na região tropical, com anos secos, muito secos e chuvosos. Dentre os fatores que podem explicar essa alta variabilidade da precipitação na região se destaca o valor da Temperatura da
more » ... emperatura da Superfície do Mar (TSM), tanto do Oceano Pacífico quanto do Atlântico Tropical (MARENGO et al., 2011; LACERDA et al., 2015). Outro padrão considerado, "as ondas de leste", também denominadas de distúrbios ondulatórios de leste, são ondas de pressão e ventos que se movem de leste para oeste em forma senoidal. A NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA) define 'ondas de leste' como sendo distúrbios de origem tropical, que surgem principalmente nas bacias do Atlântico tropical e do Pacífico oriental. A nebulosidade associada às ondas é caracterizada por nuvens, no geral, convectivas, que se deslocam para leste sobre os oceanos tropicais atingindo áreas continentais como o Nordeste do Brasil. Essas ondas podem ser detectadas e identificadas por imagens de satélite (aglomerados de nuvens se deslocando para leste que podem se intensificar ao atingir linha costeira do setor leste do Nordeste brasileiro). As ondas de leste se propagam desde a costa da África, num escoamento característico da faixa tropical do planeta. As áreas mais susceptíveis no Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, Recife, vols. 13/14, p.42-46, 2016/2017.
fatcat:hw5qetq66nevvfcozb2nze3b5a