Composição e riqueza de peixes em diferentes corpos d'água no parque nacional das Araucárias, Sul do Brasil

Jerri Andre Berto, Criatiano Ilha, Gilza Maria de Souza-Franco
2018 Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais  
O conhecimento das espécies de um determinado ambiente é base para futuros estudos ecológicos, bem como para o auxílio no manejo e conservação de áreas prioritárias. Para tal, esse estudo objetivou inventaria a composição de espécies de peixes em diferentes ambientes aquáticos no Parque Nacional das Araucárias (PNA), Santa Catarina. Foram avaliados 10 pontos amostrais com características distintas (riachos, lago de reservatório, açude e rios de maior porte) ao longo da área do Parque. Para a
more » ... o Parque. Para a amostragem diferentes artes de pesca foram empregadas em cinco coletas com periodicidade trimestral. Um total de 1.022 exemplares foi registrado, distribuídos em 22 espécies, sete famílias e quatro ordens, das quais Siluriformes apresentou a maior riqueza para a área de estudo. Astyanax scabripinnis, Oligosarcus brevioris, Hoplias malabaricus e Rhamdia quelen apresentaram a maior amplitude de distribuição, enquanto as demais ficaram restritas a um ou poucos ambientes. Ainda, destaca-se a presença de Crenicichla empheres, espécie considerada endêmica do rio Chapecó, além de Cyprinus carpio, espécies exótica, que foi registrada em um açude no interior do Parque. Ademais, por meio da curva de acumulação, foi possível inferir que as maiores parcelas das espécies presentes na área do PNA foram registradas, haja vista a tendência da curva a atingir a assíntota. Por fim, destaca-se a ocorrência de Crenicichla lepidota, Pareiorhaphis vestigipinnis e Pareiorhaphis steindachneri, para as quais não havia ainda, registros para a bacia do rio Chapecó. Ressalta-se que a presença de algumas espécies possivelmente esteja associada a determinadas características estruturais e ambientais encontradas na área do Parque, reforçando a importância de tais áreas para a manutenção da biota, tal como os peixes.
doi:10.6008/cbpc2179-6858.2018.004.0010 fatcat:b5ztwfusrrdslb7vfftbwctaea