RELACult-Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

Ma Vieira, Ramalho Bastos
unpublished
Revista Latinoamericana de Estudios en Cultura y Sociedad | Latin American Journal of Studies in Culture and Society V. 03, ed. especial, dez., 2017, artigo nº 502 | relacult.claec.org | e-ISSN: 2525-7870 Descolonização do Imaginário e a Instituição Universitária: caminhos possíveis na reconfiguração de representações estereotipadas sobre os indígenas brasileiros Descolonización del Imaginario y la Institución Universitaria: caminos posibles en la reconfiguración de representaciones
more » ... aciones estereotipadas sobre los indígenas brasileños Decolonization of the Social Imaginary and the Universitary Institutions: possible ways for the reconfiguration of stereotyped representation of the Brazilian indigenous person Resumo Este estudo visa refletir sobre o papel das instituições universitárias e seus desafios na desconstrução de discursos coloniais que, ainda na contemporaneidade, se mantêm arraigados junto ao imaginário popular da sociedade brasileira promovendo, além da reprodução de representações alienantes (BHABHA, 1998), sobre a população indígena, sua exclusão e silenciamento. O indígena na sociedade brasileira ocupa um "não-lugar" (AUGÉ, 1994), o lugar da invisibilidade, da marginalidade, do entre fronteiras, o lugar do outro, ou como se refere Trouillot (2003), está posicionado na "fenda selvagem". As instituições universitárias, por meio de políticas afirmativas efetivas e da elaboração de novas epistemologias baseadas nos saberes não-oriundos do colonialismo ocidental, por exemplo, podem potencializar o desenvolvimento de processos de descolonização de pensamentos e imaginários. Suas ramificações podem gerar transformações não apenas no espaço universitário, mas na sociedade de forma mais ampla, tornando-a mais diversa, inclusiva e igualitária ao fornecer possibilidades para reverter aquele quadro composto por estereótipos, invisibilidade e discriminação que vem sendo vivenciado pela população indígena desde a colonização. Seguindo por esta perspectiva, buscarei demonstrar, além das contribuições das instituições universitárias para o processo de descolonização dos imaginários, pensamentos e saberes, as complexidades empreendidas em processos de pós-colonialismo que trazem consigo conflitos e disputas, neste caso pela reconfiguração de representações sobre os povos indígenas, travados no campo simbólico e refletidos no campo social. Palavras-Chave: descolonização; imaginário popular; indígenas; políticas afirmativas; pós-colonialismo. Resumen Este estudio visa reflejar sobre el papel de las instituciones y sus desafíos en la desconstrucción de discursos coloniales que, aún en la contemporaneidad, se mantiene arraigados junto al imaginario popular de la sociedad brasileña promoviendo, además de la reproducción de representaciones alienantes (BHABHA, 1998), sobre la populación indígena, su exclusión y silenciamiento. El indígena en la sociedad brasileña ocupa un "no-lugar" (AUGÉ, 1994), el sitio de la invisibilidad, de la marginalidad, del entre fronteras, el lugar del otro, o como si refiere Trouillot (2003), está posicionado en el "nicho del salvaje". Las instituciones universitarias, por medio de políticas afirmativas efectivas y de la elaboración de nuevas epistemologías basadas en los saberes no-oriundos del colonialismo occidental, por ejemplo, pueden potencializar el desarrollo de procesos de descolonización de pensamientos e imaginarios. Sus ramificaciones pueden generar transformaciones no apenas 1
fatcat:b4prfvp5cjerzlp2yilccki7mi