Substâncias enantiomericamente puras (SEP): a questão dos fármacos quirais

Eliezer J. Barreiro, Vitor. F. Ferreira, Paulo R. R. Costa
1997 Química Nova  
Recebido em 17/6/96; aceito em 23/1/97 PURE ENANTIOMERIC SUBSTANCES: THE QUESTION OF CHIRAL DRUGS. The thalidomide disaster, in the 60 , s, is the most painful reminder of the importance of chirality for biological activity. After this episode, much attention has been devoted to study the correlations between toxicological and pharmacological properties and chirality. Actualy, to get a licence for a new chiral drug in EUA, European community and Japan, it is necessary to study the biological
more » ... y the biological properties of each enatiomer independently. This article presents an overview about the importance of the chirality of organic compounds and its relationships with biological activity, asymmetric synthetic methodologies and market. Keywords: chiral technology; asymmetric synthesis; drugs chirality. DIVULGAÇÃO INTRODUÇÃO A análise da literatura publicada nos últimos anos em revistas científicas de química orgânica, química farmacêutica, farmacologia e outras áreas afins, evidencia um crescente interesse por substâncias enantiomericamente puras (SEP) 1 . Esta tendência pode ser observada tanto na comunidade acadêmica quanto no setor químico industrial. Atualmente a maior demanda por SEP provém principalmente da indústria farmacêutica, seguida pela indústria de defensivos agrícolas. Visto que estes segmentos industriais usam principalmente matérias-primas de origem sintética, pode-se constatar, como resposta a esta demanda, um grande desenvolvimento de metodologias visando a preparação, em laboratório, de SEP. A origem desta demanda está intrinsecamente ligada ao número crescente de estudos relacionando propriedades biológicas com quiralidade molecular 2 . Os principais aspectos acadêmicos e a importância econômica deste tema serão abordados neste artigo. QUIRALIDADE, ATIVIDADE ÓTICA, PUREZA ÓTICA E RESOLUÇÃO Dizemos que uma substância é oticamente ativa, quando a sua estrutura molecular tridimensional não é sobreponível a sua imagem especular. Assim, a quiralidade é uma propriedade molecular e está relacionada à ausência na molécula, de um eixo alternante de Simetria (Sn), que inclui um plano (σ = S 1 ) ou um centro (i = S 2 ) de simetria 3,4 . Por exemplo, o ácido láctico possui em sua estrutura um centro quiral, o átomo de carbono substituído por quatro grupos diferentes. Neste caso, dois arranjos tridimensionais são possíveis e guardam entre si a relação de imagens especulares (Figura 1). Assim, o ácido (D)-(R)-(-)-láctico (produzido pelo nosso organismo no metabolismo anaeróbico da D-glicose) e o (L)-(S)-(+)láctico (não natural) são chamados de enantiômeros.
doi:10.1590/s0100-40421997000600014 fatcat:tl2rvgcw3nhr7dll4oj5avqlsu