A Milícia de Évora e a Ordem de Calatrava

Miguel De Oliveira
2020
No estudo intitulado Origens da Ordem de Cister em Por tugal ('), referi-me incidental mente à Ordem de Calatrava e acrescentei: «É vulgar dizer-se, desde Herculano, que esta Ordem espa nhola se estaheleceu em Évora pouco depois da conquista da cidade em 1166, sendo por isso os seus cavaleiros denominados em Portugal freires de Évora. Cremos, todavia, que a milícia eborense era originalmente portuguesa e s6 adoptou os estatutos de Calatrava para gozar dos mesmos privilégios ... Assim expressa,
more » ... afirmação traduzia uma simples convic ção pessoal, sem o carácter de conclusão hist6rica, e não ofe recia grande novidade, pois o mesmo tinha ensinado noutros termos Fr. António Brandão (2). Importa, no entanto, justificá-Ia, visto que mereceu alguns reparos. Reduzido à maior simplicidade, o problema é este: -Foram freires da Ordem castelhana que entraram em Portugal e se estabeleceram em Évora, ou foi uma Milícia portuguesa que se constituiu nesta cidade e depois abraçou a regra de Calatrava? Antes de Herculano, já o Cardeal Saraiva, refugadas as fan tasias de antigos cronistas sobre as origens desta Milícia, tinha apresentado a «conjectura)) de que «os Cavaleiros de Évora não eram então mais que uma filiação dos de Calatrava .. e que (l) Revisto Portuguesa de 1-lisl6ria� torno V. pág. 311-353. (2) Monorchia Lu.sitana, parte III, liv. XI, cap. I.
doi:10.34632/lusitaniasacra.1956.8225 fatcat:3wjy3ow7credvgssuectbf6bxi