Escola, trabalho e perspectiva de futuro de jovens estudantes

Célia Regina Vendramini, Luciana Pedrosa Marcassa, Mauro Titton, Soraya Franzoni Conde
2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação  
RESUMO: O artigo aborda a relação dos jovens estudantes com o trabalho e suas perspectivas de futuro. Percebe-se que o trabalho é uma realidade entre os jovens pesquisados, envolvendo atividades remuneradas ou realizadas por meio de estágios, além de outras atividades sistemáticas e cotidianas, como o cuidado dos irmãos e o trabalho doméstico. O trabalho ocupa parte significativa do tempo dos estudantes fora da escola, de tal modo que este concorre fortemente com os estudos, impedindo que os
more » ... ens vivam sua condição de estudante plenamente. A submissão precoce ao trabalho e em condições cada vez mais precárias, na atual sociabilidade capitalista, compromete não apenas os projetos profissionais dos estudantes, mas, sobretudo, reforça sua condição de classe, limitando, cada vez mais, suas possibilidades de formação, criação e desenvolvimento humano. PALAVRAS-CHAVE: Juventude. Escola. Trabalho. RESUMEM: El artículo aborda la relación de los jóvenes estudiantes con el trabajo y sus perspectivas de futuro. Se percibe que el trabajo es una realidad entre los jóvenes investigados, involucrando actividades remuneradas o realizadas por medio de pasantías, además de otras actividades sistemáticas y cotidianas, como el cuidado de los hermanos y el trabajo doméstico. Fuera de la escuela, los estudiantes ocupam una parte significativa de su tiempo trabajando, así que éste compete fuertemente con los estudios, impidiendo que los jóvenes vivan su condición de estudiante plenamente. La sumisión precoz al trabajo y en condiciones cada vez más precarias, en la actual sociedad capitalista, causa perjuicio no sólo a los proyectos profesionales de los estudiantes, sino, sobre todo, refuerza su condición como clase, limitando cada vez más sus posibilidades de formación, creación y desarrollo humano. ABSTRACT: This article addresses the relationship of young students with work and your future perspectives. It is noticed that the work is a reality among young people surveyed, involving remunerated activities or carried out by internships, as well as others systematic and everyday activities such as the care of siblings and housework. The work occupies a significant portion of the student's time out of school, so that this competes strongly to the studies, preventing young people fully live their student status. The submission to work earlier and increasingly in precarious conditions, in the current capitalist sociability, compromises not only the professional projects of these students, but especially strengthens your class condition, limiting increasingly its training possibilities, creation and human development. Introdução Este artigo aborda a relação entre a escola, o trabalho e a perspectiva de futuro de jovens que frequentam dez escolas de educação básica situadas no território do maciço do Morro da Cruz, em Florianópolis, Santa Catarina 5 . Nossas análises têm como referência 1.180 questionários aplicados aos estudantes dos últimos anos do ensino fundamental e médio, grupos focais, entrevistas, estudos sobre a temática e debates realizados sistematicamente pela equipe de pesquisa. A etapa de análise dos dados também envolveu a realização de um seminário de pesquisa para socialização e discussão dos resultados com docentes, membros de equipes pedagógicas e estudantes das escolas participantes da pesquisa. Os dados coletados indicam que a relação dos jovens com o trabalho se destaca tanto no ensino médio como nos anos finais do ensino fundamental 6 , nos períodos noturno e diurno. De maneira geral, os estudantes pesquisados trabalham em serviços domésticos, em estágios ou com contrato de trabalho, em atividades lícitas ou ilícitas, 5 Este artigo faz parte de uma pesquisa maior sobre "Juventude e Escolarização" desenvolvida entre 2013 e 2016 em 10 escolas de educação básica, localizadas no entorno do maciço do Morro da Cruz (MMC), na região central de Florianópolis. A fim de preservarmos o anonimato dos participantes, as escolas foram numeradas aleatoriamente e os estudantes não serão identificados. 6 Esse foi o caso de três escolas, duas delas que só ofertavam o ensino fundamental e uma que sugeriu que a pesquisa englobasse também os últimos anos do Ensino Fundamental.
doi:10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8839 fatcat:xnn7fnqeubgedp4nfjurk4hfie