Preferência manual numa tarefa de antecipação-coincidência: efeitos da direcção do estímulo

Paula C. Rodrigues, Cidália Freitas, Maria Olga Vasconcelos, João Barreiros
2007 Portugese Journal of Sport Sciences / Revista Portuguesa de Ciências do Desporto  
RESUMO Neste estudo objectivamos analisar a relação existente entre a performance numa tarefa de antecipação-coincidência, variando a orientação do estímulo, a preferência manual e o sexo. Participaram 31 destrímanos e 35 sinistrómanos de ambos os sexos com idade entre os 15 e os 18 anos (M=15.86±.92). Empregou-se o Dutch Handedness Questionnaire (Van Strien, 1992) para avaliar a preferência manual e o Bassin Anticipation Timer para avaliar a antecipação-coincidência, a uma velocidade constante
more » ... elocidade constante de 8mph. Utilizaram-se três orientações do estímulo: da esquerda para a direita (ED), da direita para a esquerda (DE) e, no plano sagital. A ANOVA 2x2x3 (preferência manual, sexo, direcção), com medidas repetidas no último factor, para um p≤0,05, revelou que (i) todos os sujeitos obtiveram melhores resultados no plano sagital (ii) o factor preferência manual não apresentou efeitos significativos (iii) o sexo masculino foi mais preciso e menos variável do que o sexo feminino. Palavras-chave: antecipação-coincidência, direcção do estímulo, preferência manual ABSTRACT Manual preference in a coincidence-anticipation task: effects of varying the stimulus orientation The purpose of this study was to analyze the existing relation between performance in a coincidence-anticipation task, varying the orientation of the stimulus, manual preference and sex. Thirty one righthanders and 35 lefthanders of both sexes participated in this study (M=15.86±.92). The Dutch Handedness Questionnaire was used (Van Strien, 1992) to evaluate manual preference and the Bassin Anticipation Timer to evaluate the coincidence-anticipation, at a constant speed of 8mph. Subjects were positioned to view a stimulus runway approaching from their left (LR), right (RL), or directly from the front, in a sagittal plan (C). The ANOVA 2x2x3 (manual preference, sex, direction of stimulus approach), with repeated measures in the last factor (p≤0,05), indicated that (i) all subjects performed better in the sagittal plan (ii) handedness as factor didn't show statistical significance; (iii) males were more precise and less variable than females.
doi:10.5628/rpcd.07.01.109 fatcat:6qs2egopijflzlh64jxrkx2jku