Filters








1 Hit in 0.027 sec

Sobre os prenomes e a medicina cotidiana

Joe Luiz Vieira Garcia Novo
2007 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba  
Nosso prenome representa em geral, algo de mais belo, sólido e específico para os nossos pais. Também pode revelar homenagens a parentes, amigos e/ou a pessoas ilustres ou notórias. Para os outros a coisa muda, pois se lê, pronuncia-se e/ou escreve-se de maneira individual e incorreta. Quando aprendi a escrever o meu prenome JOE LUIZ, homenagem de meu pai a um norte americano campeão mundial de boxe, JOE LOUIS, de cara observei que ele não era comum, só meus pais, além da professora falavam e
more » ... fessora falavam e escreviam corretamente. A confusão continuou no curso secundário, quando foram tirados os primeiros documentos de identidade. Foi divertido convencer a secretária da Faculdade de Medicina de Sorocaba, em 1962 que o calouro não era José, João, Joel, Jóia ou Jorge. Desde a formatura em 1967 o Dr. Joe, até os dias de hoje, após 34 anos, ainda é chamado de Dr. Joel, Jóia ou Jorge. Recebo através de mala direta o mesmo material geralmente repetido. Atuando como obstetra e ginecologista, conhecemos com o tempo, pacientes com prenomes inusitados, que nos chamaram a atenção, e que talvez convivessem com a mesma situação que o médico que as atendia. Citaremos alguns como exemplo:
doaj:8b12ca3a3ff847cfa0d9f1bb65a7821b fatcat:gmg27wjqn5bwhi3ref5e7w6i3u