Filters








1 Hit in 0.041 sec

Associação de alterações anatomopatológicas com o Helicobacter spp. por meio de análise imuno-histoquímica em estômagos de leitões

Renato Luiz Silveira Silveira, Ana Claudia de Menezes Cruz, Fabiana Batalha Knackfuss, Raphael Mansur Medina, Rachel Bittencourt Ribeiro Rodrigues, Mariah Bianchi Reis Gusmão Petronilha, Maria Aparecida Silva, Talita Pinheiro Bonaparte, Rita da Trindade Ribeiro Nobre Soares, Eulógio Carlos Queiroz Carvalho
2020 Revista Brasileira de Ciência Veterinária  
Resumo O objetivo deste trabalho foi relacionar os achados anatomopatológicos das lesões gástricas subclínicas de ocorrência natural em leitões com a presença, ou não, de Helicobacter spp. por meio da imuno-histoquímica. Foram utilizados 48 leitões de linhagem genética comercial. Os animais foram adquiridos em uma granja comercial, com peso médio de 34 Kg e idade média de 79 dias; após o abate, seus estômagos foram coletados e avaliados. Avaliações histopatológicas e imuno-histoquímicas foram
more » ... stoquímicas foram realizadas em amostras das regiões anatômicas aglandular e glandular. Macroscopicamente, 34 (70,83%) leitões apresentaram lesões na região aglandular, enquanto que em 14 animais (29,17%) não foram encontradas alterações nesta região. Dos estômagos com lesão, 14 foram classificados como grau 1, seis como grau 2 e 14 como grau 3. Microscopicamente, 44 amostras (91,66%) apresentaram paraqueratose. Deste total, 22 apresentaram a forma discreta, 20 a moderada e dois a acentuada. Na avaliação macroscópica da porção glandular, 41 (85,4%) animais apresentaram alteração em pelo menos uma das três regiões, e em somente sete (14,6%) não foram encontradas lesões em nenhuma delas. Em 14 deles, houve aumento da atividade mucípara, em dois, houve erosão e, em cinco, hiperemia. As lesões na região glandular do estômago foram mais extensas no antro e no cárdia, seguidas do fundo. Em relação à análise imuno-histoquímica, 21 (43,8%) amostras tiveram resultados negativos em todas as regiões, e 24 (50%) foram positivas em pelo menos uma delas, sendo que nenhuma foi positiva em todas. Os achados anatomopatológicos demonstraram relação estatística com a bactéria e, sua imunomarcação não associada à lesão em certas regiões gástricas, demonstra seu caráter saprofítico e oportunista. Palavras-chave: Helicobacter, lesões, suínos, úlcera gástrica. Abstract The aim of this study was to relate the anatomopathological findings of naturally occurring subclinical gastric lesions in piglets, with or without Helicobacter spp. through immunohistochemistry. Forty-eight piglets of commercial genetic lineage were used. The animals were acquired in a commercial farm, with an average weight of 34 kg and an average age of 79 days, and after slaughter, their stomachs were collected and evaluated. Samples from the glandular and aglandular anatomical regions were evaluated. Macroscopically, 34 (70.83%) samples had lesions on aglandular region, while 14 (29.17%) nothing had. Of the injured stomachs, 14 were classified as grade 1, six as grade 2 and 14 as grade 3. Microscopically, 44 samples (91.66%) showed parakeratosis. Of these, 22 showed a discreet manner, 20 moderate and two severe. In the glandular region, in 41 (85.4%) samples there was a change in at least one of the three regions, and only seven animals (14.6%) showed no change in any of the three. Fourteen samples showed increased muciparous activity, two showed erosion and five hyperemia. The lesions were higher in antral regions and cardic, followed the fundus. In relation to immunohistochemistry, 21(43.8%) samples were negative in all areas, 24 (50%) were positive in at least one, and none were positive in all. The anatomopathological findings showed a statistical relationship with the bacteria, and its immunostaining, not associated with gastric lesions in certain regions, demonstrates its saprophytic and opportunistic character.
doi:10.4322/rbcv.2020.015 fatcat:cox75k3ufrektcrogdy6mvaflq