Filters








1 Hit in 0.041 sec

Retinose pigmentar unilateral ou pseudorretinose pigmentar?: relato de caso

Daniela Fernandes de Carvalho Rios, Luis Felipe da Silva Alves Carneiro, Aline Amaral Fulgêncio da Cunha, Carlos Bernardo Moura Dalle, Maria Frasson
2013 Arquivos Brasileiros de Oftalmologia  
Relato de Caso | Case RepoRt INTRODUÇÃO A retinose pigmentar é um termo utilizado para um grupo de doenças que são caracterizadas pela hereditariedade, bilateralidade, disfunção progressiva, perda celular e eventual atrofia retiniana. A perda dos fotorreceptores leva a posterior deterioração das camadas internas da retina, com atrofia difusa de todas as camadas. Os sinais característicos são: aglomerados pigmentares com aspecto de "espículas ósseas" na periferia da retina, atenuação dos vasos e
more » ... enuação dos vasos e palidez "cérea" do nervo óptico. As primeiras descrições de retinose pigmentar unilateral (RPU) datam de meados do século XIX (1) . Desde então, vários outros foram relatados. Em 1948, Dreisler sugeriu que essas condições representavam uma rara forma de manifestação assimétrica da doença bilateral (2) e em 1951, Joseph concluiu que muitos destes eram secundários a outras doenças (3) . Ainda hoje persiste a discussão sobre a existência da RPU como entidade clínica isolada, sua relação com a retinose pigmentar bilateral (RPB) e, principalmente, sua associação com outras doenças adquiridas. Estas incertezas podem confundir o médico oftalmologista especialmente quando não é encontrada uma causa para as alterações apresentadas ao exame clínico.
doi:10.1590/s0004-27492013000600015 pmid:24510090 fatcat:6jbnooo7enb6vlgnj2n3uqlzgu