Filters








1 Hit in 0.24 sec

INFLUÊNCIA DO ESPAÇAMENTO E DO ESTÁDIO DE DESENVOLVIMENTO DA PLANTA NA PRODUÇÃO DE BIOMASSA E VALOR NUTRICIONAL DE Tithonia diversifolia (HEMSL.) Gray

Ronan Gualberto, Oscar Francisco Souza Júnior, Nídia Raquel Costa, Caio Doretto Braccialli, Lucas Aparecido Gaion
2011 Nucleus  
RESUMO: Tithonia diversifolia, conhecida como girassol mexicano apresenta alto potencial de utilização no Brasil, em função de sua a adaptação às condições de baixa fertilidade do solo, dos diversos tipos de uso e de seu elevado valor nutricional. Objetivou-se avaliar a produção de biomassa e o valor nutricional de Tithonia, em função de espaçamentos e estádios de desenvolvimento das plantas. Conduziu-se o experimento em Marília-SP em delineamento blocos casualizados, em esquema fatorial 3 x 3,
more » ... ema fatorial 3 x 3, em três repetições. Os tratamentos foram os espaçamentos E1: 0,50 x 0,75 m, E2: 0,75 x 0,75 m e E3: 1,0 x 0,75 m e os estádios de desenvolvimento das plantas (pré-floração, floração e pós-floração). A produção de biomassa fresca no menor espaçamento foi superior aos demais somente na pós-floração, já a produção de biomassa seca na pós-floração não apresentou diferenças entre E1 e E2, porém nestes a produção foi superior ao E3. Para os teores de PB, EE, FB, MM, celulose e lignina, a interação entre os tratamentos não foi significativa. Os espaçamentos não afetaram o teor de PB, porém na pré e pós-floração os valores foram superiores ao da floração. Para os teores de FB, MM e celulose ocorreram diferenças entre espaçamentos e estádios da planta e para a lignina, somente para estádios da planta. Para os teores de FDN e FDA ocorreu interação significativa entre os tratamentos. O menor teor de FDN foi obtido no E1 e na pré-floração, porém não diferiu estatisticamente do E2 e do estádio floração. Para o teor de FDA, os melhores resultados foram obtidos nos espaçamentos E2 e E3 e na pré-floração. Baseado na produção de biomassa e na análise bromatológica, conclui-se que principalmente no menor espaçamento e na pré-floração que o uso de Tithonia é uma alternativa promissora como suplementação protéica na alimentação animal. Palavras-chave: Tithonia diversifolia. Forrageira arbustiva. Produção de biomassa. Valor nutricional.
doi:10.3738/1982.2278.362 fatcat:u7woyalthrebffqjlllxo2ukoi