Filters








1 Hit in 0.033 sec

Interações familiares de estudantes em situações de bullying

Wanderlei Abadio de Oliveira, Jorge Luiz da Silva, Manoel Antônio dos Santos, Miyeko Hayashida, Simona Carla Silvia Caravita, Marta Angélica Iossi Silva
2018 Jornal Brasileiro de Psiquiatria  
RESUMO Objetivo Analisar a qualidade das interações familiares de adolescentes e o envolvimento em situações de bullying escolar. Métodos Estudo transversal de base populacional que contou com a participação de 2.354 estudantes (meninas = 50,7%; idade média M = 14,5 anos, DP = 2,0 anos) do ensino fundamental e médio, de 11 escolas públicas de uma cidade do interior de Minas Gerais. A amostra do estudo foi definida pela seleção de estratos (escolas), utilizando o método Probability Proportional
more » ... ility Proportional to Size. A coleta de dados ocorreu por meio da aplicação coletiva de duas escalas, sendo uma para identificar comportamentos de bullying/vitimização e outra para aferir a qualidade das interações familiares dos adolescentes. Os procedimentos de análise incluíram: análise estatística descritiva, análise de variância (ANOVA) e regressão logística. Resultados O estudo identificou uma prevalência de 10,3% de estudantes agressores, 10,1% de vítimas e 5,4% de vítimas-agressoras na amostra. Verificou-se que os estudantes não envolvidos em situações de bullying possuíam melhores interações familiares quando comparados com os estudantes identificados como agressores, vítimas e vítimas-agressoras. Efeitos do aspecto "regras e monitoria" (OR: 1,21; p = 0,001) no contexto familiar foram identificados como protetivo para o bullying ou a vitimização. Os aspectos "punição física" (OR: 0,84; p = 0,001) e "comunicação negativa" (OR: 0,53; p = 0,001) foram associados a maior possibilidade de bullying ou vitimização entre os estudantes. Conclusões Confirmou-se que a qualidade das interações familiares influencia no envolvimento dos estudantes em situações de bullying. Implicações para a área da saúde foram discutidas a partir de indicadores de risco e proteção identificados.
doi:10.1590/0047-2085000000204 fatcat:cynt5ppiyrg3jmtpnppg7lj4hy